Espargos – Última oportunidade de reservar – Entrega Março 2018

A época de plantação de espargos está a terminar e é já pequena a nossa disponibilidade de garras (propágolos/raízes) de espargo.

Contudo, se ainda pretende plantar nesta Primavera de 2018 contacte-nos rapidamente, a fim de garantir a reserva das suas plantas com entrega em Março.

Em catálogo dispomos das seguintes cultivares, algumas delas amplamente testadas nas nossas condições, porém, a disponibilidade está sujeita a confirmação mediante contacto:

Darzila; Darlise; Gijnlim; Backlim, Placosesp Green; Plamaresp; Darbella; Dariana; Ciprés, Amaro Montina, Ariane, Early California, Millennium, Mondeo, Pacific 2000, Pacific Challenger, Pacific Purple, Stewarts Purple e Vittorio

Asparagus Varieties at Hargreaves Plants (foto Hargreaves plants)

Faça já a sua reserva e garanta ser servido com as melhores plantas!

Contacte-nos:

agriminho@gmail.com
telefone – 919056253

https://agriminho.wordpress.com/contactos/

Anúncios

Últimas Plantas framboesa Primavera 2018- Paris e Versailles

Caso se tenha atrasado na reserva das suas plantas de framboesa para a Primavera 2018 deverá fechar a encomenda o mais brevemente possível.

De momento a AGRIMINHO pode ainda propor plantas das variedades Paris e Versailles, para entrega de Fevereiro a Maio.

Consulte-nos imediatamente, uma vez que a disponibilidade é realmente já muito escassa e, naturalmente, irá esgotar como sucedeu com outras variedades que dispúnhamos.

Pode conhecer algumas das características das plantas Versailles e Paris nos seguintes links

https://www.meiosis.co.uk/fruit_types/versailles/

https://www.meiosis.co.uk/fruit_types/paris/

Reserva de Plantas – 919056253   – agriminho@gmail.com

Geral – Tlf: 258488341    934407657

 

long caneParis-Fruit-in-Punnet.jpgDSCN3365.jpgDSCN1328.jpg

 

Framboesa, framboeseira, framboeseiro, mirtilo, enrosadira, paris, versailles, groselha, pdr2020, jovem agricultor, goji, kiwi, baby, preço, tulameen, duke, aurora, last call, legacy

Novidade – Livro – Cultura da Groselha Vermelha

20171206161124-Cultura da Groselha Vermelha.jpg

A “Cultura da Groselha Vermelha”, da autoria de António Fernandes, publicado pela Agrobook (editoraPublindústria – edições técnicas), já está disponível.

Este manual pode ser considerado uma obra “aberta”, pois a investigação no cultivo da groselha vermelha, sobretudo em Portugal, só presentemente está a dar os primeiros passos, mas é amplamente sustentado pela investigação e pesquisa realizada no resto do mundo e da experiência enquanto produtor do autor.

Trata-se, por isso, de um manual direcionado para iniciados na cultura da groselha vermelha. Escrito de uma forma particularmente didática, rigorosa e pedagógica, procurando detalhar os principais aspetos que condicionam o êxito da cultura, desde a escolha das variedades, as condições edafo-climáticas, as técnicas de cultivo, a instalação, planos de adubações e fitossanitários e ainda os cuidados a ter no momento da colheita do fruto e durante a sua conservação.

António Fernandes nasceu em Braga há 53 anos, casado, pai de duas filhas, formou-se em Engenharia Agrícola, tendo um Mestrado em Agricultura Ambiente e Mercados, para além de possuir duas pós-graduações, uma em Administração Pública e outra em Prospetiva Planeamento Regional e Local.

O autor

É autor e co-autor de mais de uma centena de trabalhos técnico-científicos, apresentados em eventos nacionais e internacionais, para além de autor de vários trabalhos e manuais técnicos.

Exerce a sua atividade profissional na Direção Regional de Agricultura, onde desempenhou várias funções, incluindo de dirigente.

A editora

A Publindústria assume como missão a promoção, divulgação e edição de conteúdos especializados afins ao conhecimento técnico e científico, através da edição de livros em suporte físico e digital, revistas especializadas e seminários.

A chancela Engebook agrega a oferta de conteúdos no domínio da engenharia e gestão. Ao longo de mais de trinta anos temos vindo a percorrer um caminho de verdade e autenticidade que nos coloca hoje na liderança dos editores especializados em Portugal, para as áreas de engenharia industrial.

Para adquirir a obra, aceda aqui.

(publicado no site http://www.agrotec.pt)

Porque morrem as plantas de mirtilo?

Volvidos 3-4 anos desde que o país agrícola assistiu à  “febre do mirtilo” é possível começar a fazer alguns balanços.

O mais triste deles é o facto de, em inúmeros casos, plantações inteiras terem falhado devido à morte das plantas.

Se em alguns casos a perda das plantas se deveu a desleixo grosseiro em matéria de falta de água, noutros a situação, quase sem excepção, deve-se ao ataque do fungo das raízes Phytophtora spp. .

Este fungo afecta, sobretudo, plantações das variedades Duke, Bluecrop e Draper. Como primeiro factor de infecção temos as plantas que provêm já infectadas dos viveiros. Maus viveiros são, claramente, a primeira porta de entrada da doença nas explorações.

A este respeito a AGRIMINHO assegura que as plantas que vão ser entregues este Inverno foram analisadas e os resultados indicam que estão isentas do fungo.

Porém, em solos florestais, onde existiram árvores como carvalhos e castanheiros é também provável que o fungo exista já no próprio solo da plantação, ou até na água da rega, esporos do fungo e que podem infectar as nova planta.

A gravidade do ataque do fungo é maior quando os solos têm menos de 1.000ppm de cálcio (e não se fez a respectiva correcção inicial com Gêsso Agrícola), quando não se fizeram camalhões ou estes são demasiado pequenos. Quando há alagamentos temporários e, portanto, má drenagem ou até sombra e, por fim, as regas são mal repartidas (recomendamos a instalação de sondas de solo em vez de relógios controladores)

 

Tenha tolerância ZERO em relação às plantas que compra.

20160711_114433

O que for mal feito à instalação é de difícil remédio. O uso de fungicida é eventualmente muito eficaz porém, actualmente, os mais eficientes estão proibidos e a sua acção é temporária, pois “limpam” as plantas, que temporariamente ficam tratadas, mas não desinfectam o solo, e passado o efeito uma reinfecção poderá acontecer, se as restantes condições de stress se mantiverem.

 

Mesmo que não compre as nossas plantas EXIJA qualidade, é por si e por Portugal!

Não hesite em contactar-nos, nomeadamente para realizar a reserva de plantas 911770810 ou para visita técnica ao seu actual ou futuro pomar 934407657.

 

 

Duke, aurora, bluecrop bluejay planasa, fallcreek careplants berrysmart delícias do tojal b-fruit draper framboesa pdr pdr2020 proder jovem agricultor cargo lastcall last call legacy liberty arando arandano mirtilio mirtilileiro mirtilho 

1º Ano do mirtilo. Elimine todas as flores.

No recente VII Encontro Nacional de Produtores de mirtilo, a Drª Bernardine Strik sublinhou, veementemente, a importância de eliminar TODA a produção de flores das plantas do primeiro ANO de plantação.
Em gráficos, apoiados por fotografias, a professora demonstrou como o sistema radicular da planta se expande muitíssimo mais na ausência de flores.
Importante acrescentar que o ideal é fazer a eliminação dos botões florais por meio de uma poda de instalação, pois a eliminação de flores, embora positiva por impedir o vingamento de frutos, que retiram “força” da planta, não é tão eficiente como o corte dos gomos antes de se dar o abrolhamento.

No segundo ano, EVENTUALMENTE, poderá deixar-se a planta apresentar ALGUMA produção, se economicamente viável e se o desenvolvimento tiver sido excelente, caso contrário, a eliminação de flores ou a sua severa limitação deve manter-se.

http://www.agriminho.wordpress.com

P1170304

 

 

Pruning diagrams 2010_Page_1pruning flower budblueberry flowersStrikBernadine2016\

Plantas Mirtilo – Inverno 2017

Nos últimos dias temos sido contactado por diversos empresários à procura de plantas de Mirtilo, pois houve ruptura dos viveiros que os iriam abastecer.

INFORMAMOS que a AGRIMINHO ainda dispõe de um stock de plantas das variedades Duke, Draper, Legacy, Bluecrop, Liberty, Aurora, e apenas destas. Estando disponíveis em vasos de 1 Litro.

Recentemente realizámos análises de controlo ao lote que temos e o resultado para todas as doenças, sobretudo para a Fitófora (phythophtora) foi negativo, como se vê pelo boletim seguinte.

Caso esteja interessado em conhecer as nossas condições de venda e fazer a sua encomenda, contacte-nos pelo

Reserva de Plantas – 911770810; 258488341   agriminho@gmail.com

 

As nossas plantas, que são propagadas in vitro, além do certificado sanitário serão apresentadas com GARANTIA SANITÁRIA, algo que somos os únicos no mercado a propor, e que se traduz pela apresentação de uma análise ao lote de plantas entregue que assegura a isenção de doenças graves como a Phytophthora, o Pytium, o Fusário e a Phomopsis. Doenças que têm sido autêntico flagelo das plantações realizadas no Norte de Portugal.

Adicionalmente oferecemos aos clientes com compras superiores a 2000 plantas, dos distritos de Aveiro, Porto, Braga e Viana do Castelo, uma visita de consultoria na exploração.

Não se esqueça, no seu contacto, de nos encomendar, também, as micorrizas para uma plantação realmente bem feita!

 

Analise micológica mirtilos agriminho

Goji FPW07 – O DOBRO da colheita!

O clone de Goji FPW 07     NÃO Adstringente, Remontante e RESISTENTE ao Oídio é muito recente, porém, com poucos anos de experimentação demonstra já uma excelente produtividade e vigor.

(veja, também, a apresentação da variedade CLICANDO AQUI)

Mesmo em cultura biológica a planta tem demonstrado uma adaptação excelente, como o ilustram as seguintes fotos de uma plantação BIO feita na Primavera de 2017, com pequenas plantas em vaso P8 e que presentemente (Setembro 2017) têm já uma interessante produção (outro local, plantação realizada ao mesmo tempo)!

Actualmente foram registadas, quando bem cultivados, em França, as seguinte performances, considerando uma densidade teórica de 3.500 plantas/ha:

1º Ano -300 a 500 gramas por planta

2º Ano – 2 – 3 Kgs por planta

3º Ano e seguintes – >5 kgs por planta

Mas o rendimento depende de vários factores, relacionados com o local de plantação e com o produtor, como, entre muitos outros:

  •  O “comprimento” do Verão, que permite prolongar o perídoo de frutificações sucessivas (uma vez que o clone FPW07 é Remontante, e só pára de frutificar perante stress extremo, como o que é provocado pelo frio de Inverno)
  • A fertilização e rega
  • Os ataques de aves e de insectos.Na localidade de Revel, França, foram obtidos este ano de 2017, os seguintes dados comparativos entre os frutos do clone FPW07 e a variedade Sweet, que é a que tem sido mais plantada em Portugal e Espanha (e que sofre muito com o Oídio).

Salienta-se que o clone FPW07 é, não apenas, de maior calibre mas, sobretudo, muito mais denso, uma vez que não é oco, mas sim maciço, tendo pouco mais do DOBRO! do peso da variedade referência, a Sweet, embora seja pouco maior!

Dados comparativos GOJI Agosto 2017
Comprimento cm Diâmetro cm Peso de 10 frutos gr
FPW07 2 1,2 16
SWEET 1,5 0,8 7,12

 

A AGRIMINHO, como representante exclusiva da variedade na Península Ibérica e Brasil, aceita um número limitado de encomendas para plantação na próxima Primavera de 2018.

Quem estiver interessado deve contactar-nos através do:

e-mail agriminho@gmail.com

telefone 919056253

PREMIERS RANGS TUTORISES

Plantação Bio – Primavera 2017 – França. Foto Maio 2017

goji anver

Outra Plantação realizada na Primavera 2017 – Foto Setembro 2017
DSC_9524

Outra Plantação realizada na Primavera 2017 – Foto Setembro 2017 – Linda produção no ano de plantação.

P1170082